O desafio de não criar um site acessível em língua de sinais

Diversidade e Inclusão Out 01, 2018

Como nossa experiência com outras línguas nos ajudou a criar uma plataforma focada em Libras (Língua Brasileira de Sinais)

Nosso desafio é criar uma plataforma focada em língua de sinais, que é um desafio diferente de adaptar um site para ser acessível.

Apenas 15% dos surdos do Brasil sabem português fluente. Mas sobre os outros 85% dos surdos, não temos pesquisas ou dados exatos, mas em nossos testes e experiência com o Surdo para Surdo e Inboarding temos algumas conclusões:

  • Pesquisas indicam que 30% dos surdos não sabem português, ou seja, não conseguem identificar palavras.
  • Alguns surdos sabem apenas o básico, e conseguem identificar palavras, mas tem dificuldade para interpretar pequenas frases.
  • Alguns surdos sabem português básico, mas tem dificuldade para entender um frase com palavras complexas ou um texto mais longo.

Eu como ouvinte, tento sempre trazer minhas experiências pessoais e empatia. Morando no exterior, e tendo contato com várias culturas e línguas, incluindo outras língua de sinais, passamos aqui muitos problemas vivendo em um país onde não é nossa língua materna.

  • Sou fluente em inglês, eu entraria na categoria dos 15% de surdos do Brasil. Mas para um textos com vocabulário muito complexo, contratos ou textos fora da minha área de conhecimento eu tenho muita dificuldade.
  • Tenho nível básico de Italiano, entraria na categoria dos surdos que sabem português. Eu sei identificar palavras, frases curtas e texto complexos com bastante dificuldade. Eu sei me comunicar para sobreviver e assuntos do meu dominio.
  • Tenho nível iniciante de Francês, sei me apresentar e falar coisas básicas, mas meu vocabulário é muito pequeno. Eu entraria na categoria dos surdos que sabem apenas poucas palavras.

Abaixo montamos um pequeno infográfico para mostrar um pouco desse aprendizado e que utilizamos como guia para nossas validações:

Infográfico com percentual de surdos no Brasil que sabem português

Por um período de testes focamos exclusivamente em fazer conteúdos apenas em Libras (Língua Brasileira de Sinais) e qual foi o resultado? Tivemos muitos contatos de ouvintes pedindo para colocarmos legendas ou traduzir nossos vídeos porque gostaria muito de entender o que estamos falando. Nesse momento percebemos que estávamos deixando de ser acessíveis e precisamos repensar.

Além disso, ainda temos a variação de sinais em regiões do Brasil e o fato de que nem todos são fluentes em Libras (Língua Brasileira de Sinais), onde a legenda e tradução em Português são muito importantes.

Nessa jornada, percebemos que ao incluir o Português como segunda língua, estávamos também ajudando os surdos a se conectarem e aprender Português.

No nosso caso, não estamos criando uma plataforma acessível em Libras (Língua Brasileira de Sinais), todo nosso planejamento, conteúdo e desenvolvimento é em Libras, como língua principal, tendo o português como segunda língua. Estamos invertendo os papéis, estamos criando uma plataforma em Libras (Língua Brasileira de Sinais) e a tornando acessível em Português.

Nossa principal missão é lutar pelo direito dos surdos à língua de sinais desde o nascimento. Como enfatizado pela Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, a língua de sinais é inseparável dos direitos humanos das pessoas surdas.

Sem língua de sinais, os surdos não são iguais.

Você tem algum aprendizado com língua de sinais ou acessibilidade? Alguém sugestão ou experiência para compartilhar? Nos envie um mensagem nos comentários ou entre em contato.

Robson Mafra

Criando um mundo mais inclusivo com tecnologia